terça-feira, 21 de junho de 2011

Como as coisas por aqui estão longe de serem politicamente corretas:



Sete coisas para um fumante fazer depois da lei anti-fumo
Por Claudio R. S. Pucci

1. Sinta-se um adolescente: lembra quando você tinha 15 anos de idade e fumava escondido dos seus pais? Esses bons tempos voltaram. Se além de fumante, é paulistano e utiliza ônibus fretado, use camiseta furada e corte de cabelo moicano, porque você é um legítimo punk, totalmente anti-social.

2. Ande de guarda-chuva: como você não pode fumar debaixo de qualquer área coberta, é bom estar preparado para eventuais chuviscos e tempestades. Se sua criatividade for boa o suficiente, adote o terno preto e o chapéu coco. Alie o traje à névoa causada pela poluição dos ônibus e carros, e sinta-se em Londres.

3. Filie-se a uma torcida organizada: una duas paixões em uma só, mesmo porque fumar em estádios é liberado.

4. Faça reuniões em casa: reúna os amigos para uma cervejada ou festival da caipirinha. Aquele que começa com vodca de primeira e termina com pinga de segunda. O bacana é que as sacadas de apartamento estão liberadas, apesar de possuírem (mais um termo bacana para discussão) marquises, então se sinta burlando a lei. Se os vizinhos ou síndico reclamarem, convide-os para a festa.

5. Procure bares onde fumar é permitido: o site aquipode.org dá a lista de locais onde é possível fumar em São Paulo, já que possuem locais abertos e com ventilação. É um ótimo guia para quem não dispensa o companheiro nicotinoso em meio ao bate-papo e não quer ser detonado por quem odeia o cigarro.

6. Deixe de ser tímido: a lei acabou obviamente desenvolvendo uma ligação forte entre os fumantes, ou seja, todo mundo está no mesmo barco. Assim, tenha sempre seu isqueiro à mão, converse à vontade com outro apreciador de tabaco e imagine quantos novos amigos (e amigas) você não pode fazer a cada escapadela.

7. PENSE EM PARAR: ironias à parte, agora pode ser uma ótima hora de encerrarmos esse hábito que nos deixa, no mínimo, sem fôlego e fedendo. Embora a ciência e a medicina já tenha declarado, em algum momento, que o ovo, o refrigerante, o sanduíche, a poluição, a carne vermelha, a bebida alcoólica, o leite de soja, falar ao celular, o glúten, trabalhar demais, dormir de menos, fast food, forno de microondas, exercício em excesso, pouco exercício, compartilhar a cama, calcinha de tecido sintético, açúcares, adoçantes e até fumaça de incenso sejam prejudiciais à saúde, o cigarro ainda figura como um dos campeões de morte no mundo. Só que faça isso por você e não pelo patrulhamento ideológico da coisa toda.
:)

Nenhum comentário:

Postar um comentário