domingo, 31 de julho de 2011

Enamorar-te


Permita-te, ao menos uma vez,

abrir a porta emperrada de ti mesmo 

e saia para contemplar-te, 

...sem medo 

...sem culpa

...sem hora.


...Olhe carinhosamente para ti.

...Observe atentamente 

...tua estrada

...tua história

...teus amores

...teus sonhos

...teus medos

...tua insegurança


Permita-se as manhãs, 

ao sol de tua possível primavera.

Exponha-te à carícia 

da leve bruma a brincar

com teus cabelos.

Jogue fora, por um instante,

...o fardo de tuas angústias

...o medo de teu amanhã

...o peso de tua ansiedade.


Tente, ao menos uma vez,

amar a ti mesmo

mais do que amas lá fora,

mais do que supõe amarem-te.



...Enamora-te, ainda que na eternidade

deste momento breve.

...Enamora-te em paz.

...Enamora-te sem pressa.

...Enamora-te sem culpas.

...Enamora-te.

Abel De Jesus Requião

Nenhum comentário:

Postar um comentário