terça-feira, 18 de outubro de 2011



Às vezes, o pensamento mais estranho, mais impossível na aparência, apodera-se de nós com tal poder, que acabamos por julgá-lo realizável... Mais ainda: se a idéia se associa a um desejo violento, apaixonado, tomamo-la às vezes, no fim das contas, por algo fatal, inelutável, predestinado. Talvez haja aí, também, um não sei quê, uma combinação de pressentimentos, um esforço extraordinário de vontade, uma intoxicação por sua própria fantasia...

(Fiodor Dostoiévski, in O Jogador)

Nenhum comentário:

Postar um comentário