domingo, 20 de novembro de 2011

Não acredito em amores perfeitos.



Por Ricardo (Sano)

O que eu quero mesmo é que você me odeie, mas me ame como ninguém.
Que minta pra mim, mas que me olhe nos olhos para dizer a verdade.
Que seja estúpido, mas que os seus carinhos sejam os melhores do mundo.
Que brigue comigo, mas me abrace e diga que não se importa.
Que me faça suspirar de amores e me faça urrar de prazer.
Que me abrace forte o suficiente pra que eu saiba que nada vai acontecer, mas me coloque na parede como se fosse me matar.
Que seja meu amante, mas que seja também meu melhor amigo.
Que seja responsável, mas que seja meu cúmplice nas horas de irresponsábilidade.
Que me irrite, mas que ao sorrir, eu me esqueça do porque eu me irritei.
Que conheça os meus defeitos e manias, mas que se divirta com eles.
Que seja o motivo de um boa noite, mas que também esteja ali pra ser o meu bom dia.
Que me faça sofrer, mas que também faça valer a pena.
Que seja inteligente, mas que brinque como uma criança faria.
Que fique emburrado, mas que saiba conversar para resolvermos os problemas.
Que me ame todos os dias como se aquele fosse o último, mesmo que seja o último dia só para nós dois.
Que mude o que achar que for necessário, mas que não deixe de ser você mesmo.
Enfim...
Quero que você seja o meu anjo, mas que não deixe nunca de ser o meu monstro.

Fonte: aqui

Um comentário: