sábado, 7 de janeiro de 2012

Nuvem passageira


Sou como um viajante que não dorme
Mais de uma noite na mesma parada,
Dê-me um beijo e esqueça-me
Não se apegue, não tente me segurar.

Meu prazer está na caminhada
 Sou nuvem passageira
Fogo efêmero.
Um bom amante, porém um companheiro ausente.

Sorria na despedida
E lembre-se:
Meu prazer esta na caminhada!

Amo o descobrir,
Amo o que nasce, pois nasce feliz.
Então não tente me segurar, deixa-me ir
Como o curso de um rio, a onda do mar.
 

Já tiveste meu perfume meus carinhos
Agora deixa-me ir, se não morro
Envelheço, apodreço, me desfaço
Viro chuva.


Afinal, sou nuvem passageira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário