domingo, 5 de fevereiro de 2012

A marca



"Nós deixamos uma marca, uma trilha, um vestígio. Impureza, crueldade, maus-tratos, erros, excrementos, esperma - não tem jeito de não deixar. Não é uma questão de desobediência. Não tem nada a ver com graça nem salvação nem redenção. Está em todo mundo. Por dentro. Inerente. Definidora. A marca que está lá antes do seu sinal. Mesmo sem nenhum sinal ela está lá. A marca é tão intrínseca que não precisa de sinal.
A marca que precede a desobediência, que abrange a desobediência e confunde qualquer explicação e qualquer entendimento.
Por isso toda essa purificação é uma piada.
E uma piada grotesca ainda por cima.
A fantasia da pureza é um horror.
É uma loucura. Porque essa busca da purificação não passa de mais impureza."

Philip Roth, A marca humana, Companhia das Letras, 2002, pág. 308

Nenhum comentário:

Postar um comentário