quinta-feira, 29 de março de 2012

Foi o que restou de você em mim.



O dia está escuro e não soprarei a luz ao seu lado.
O dia está lento e não haverá movimento nas ruas.
Você não revidou nenhuma das agressões,
não revidará mais essa.
Você foi covarde.
A mais bela covardia de minha vida.
A mais comovida.
A mais sincera.
A mais dolorida.
O que me atormenta é que sou capaz de amar sua covardia.
Foi o que restou de você em mim.
Fabricio Carpinejar

Nenhum comentário:

Postar um comentário