quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Talvez o segredo seja parar de idealizar.


As moças sonham muitas vezes com uns seres nobres encantadores, criaturas perfeitamente ideais, e assim forjam quimeras acerca dos homens, dos sentimentos e do mundo; depois atribuem inocentemente a um caráter as perfeições com que sonham e nele confiam; amam no homem da sua escolha esse ente imaginário; porém, mais tarde, quando já não podem fugir à desgraça, a aparência enganadora que embelezaram, o seu primeiro ídolo, enfim, transforma-se num esqueleto odioso.
Honoré de Balzac in: A Mulher de Trinta Anos

domingo, 16 de setembro de 2012

Estou sofrendo de amor feliz.


Estou sofrendo de amor feliz. Só aparentemente é que isso é contraditório. 
Quando se sente amor, tem-se uma funda ansiedade. 
É como se eu risse e chorasse ao mesmo tempo. 
Sem falar no medo que essa felicidade não dure. 
Preciso ser livre — não aguento a escravidão do amor grande, o amor não me prende tanto. 
Não posso me submeter à pressão do mais forte.

Clarice Lispector in:Um Sopro de Vida

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

‎"Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal."


Nietzsche

Como esse pessoal de VIRGEM é complicado e perfeitinho!!!

Como esse pessoal de VIRGEM é complicado e perfeitinho!!! 
Adoram nome e sobrenome, olhaí (reparem que quase todo mundo de letra dobrada) : 
Freddie Mercury; Warren Buffett; Mary Shelley; Sean Connery; Frei Betto; Gene Kelly; Dori Caymmi; Barry Gibb; Sylvia Telles; Buddy Holly; Tônia Carrero; Arnaldo Antunes; Charlie Parker; Horace Silver; Waly Salomão; Irene Papas; Aldir Blanc; Sandra Sá; Tony Garrido; Nelson Rodrigues; Roger Waters; Eduardo Galeano; Rubem Alves; Ingrid Bergman; Sophia Loren; Paula Toller; Marina Lima; Patsy Cline; Amy Whinehouse; Di Cavalcanti; Gloria Gaynor; Caio Fernando Abreu; Michael Jackson; Raquel Welch; Elia Kazan; Richard Gere; Tony Ramos; Paulo Autran; Salma Hayek; Gloria Estefan; Emilinha Borba; Van Morrison; Francis Hime; Jackson do Pandeiro; Edu Lobo; Paulinho Moska; Lester Young; Julio Cortázar; Jorge Luis Borges; Paulo Freire; Madre Teresa de Calcutá; Elvis Costello; Paulo Coelho; Leonard Bernstein; Fernanda Takai; Tim Burton; Tony Ramos; Yasser Arafat; Keith Moon. Há exceções, é claro: Gonzaguinha; Aleijadinho; Hegel; Göethe; Leminski; Maria, a mãe do filho de Deus e Michele Gouveia Rosa.
SIM, EU SOU DE VIRGEM, E SÓ DE IMAGINAR, ME DÁ VERTIGEM!

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Ainda é Cedo.

Eu não sei mais sentir


Será que eu sou capaz
De enfrentar o seu amor
Que me traz insegurança
E verdade demais?
Será que eu sou capaz?´

Não me tentes...


Eu vejo que aprendi
O quanto te ensinei
 Não há por que voltar
Não penso em te seguir
Não quero mais a tua insensatez
Não penso em me vingar
Não sou assim
A tua insegurança era por mim
Não basta o compromisso
Vale mais o coração
Já que não me entendes, não me julgues
Não me tentes...

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

A Rose From Homer's Grave


ALL the songs of the east speak of the love of the nightingale for
the rose in the silent starlight night. The winged songster serenades
the fragrant flowers.
Not far from Smyrna, where the merchant drives his loaded
camels, proudly arching their long necks as they journey beneath
the lofty pines over holy ground, I saw a hedge of roses. 
The turtledove flew among the branches of the tall trees, and as the
sunbeams fell upon her wings, they glistened as if they were
mother-ofpearl. On the rose-bush grew a flower, more beautiful
than them all, and to her the nightingale sung of his woes; but the
rose remained silent, not even a dewdrop lay like a tear of
sympathy on her leaves. At last she bowed her head over a heap of
stones, and said, “Here rests the greatest singer in the world; over
his tomb will I spread my fragrance, and on it I will let my leaves
fall when the storm scatters them. He who sung of Troy became
earth, and from that earth I have sprung. I, a rose from the grave of
Homer, am too lofty to bloom for a nightingale.” 
Then thenightingale sung himself to death. 
A camel-driver came by, with
his loaded camels and his black slaves; his little son found the dead
bird, and buried the lovely songster in the grave of the great
Homer, while the rose trembled in the wind.
The evening came, and the rose wrapped her leaves more closely
round her, and dreamed: and this was her dream.
It was a fair sunshiny day; a crowd of strangers drew near who
had undertaken a pilgrimage to the grave of Homer. 
Among thestrangers was a minstrel from the north, the home of the clouds
and the brilliant lights of the aurora borealis. He plucked the rose
and placed it in a book, and carried it away into a distant part of
the world, his fatherland. The rose faded with grief, and lay
between the leaves of the book, which he opened in his own home,
saying, “Here is a rose from the grave of Homer.” Then the flower
awoke from her dream, and trembled in the wind. A drop of dew
fell from the leaves upon the singer’s grave. The sun rose, and the
flower bloomed more beautiful than ever. The day was hot, and
she was still in her own warm Asia. Then footsteps approached,
strangers, such as the rose had seen in her dream, came by, and
among them was a poet from the north; he plucked the rose,
pressed a kiss upon her fresh mouth, and carried her away to the
home of the clouds and the northern lights. Like a mummy, the
flower now rests in his “Iliad,” and, as in her dream, she hears him
say, as he opens the book, 
“Here is a rose from the grave of Homer.”
THE END

Hans Christian Andersen


Eu


Eu sou a que no mundo anda perdida, 
Eu sou a que na vida não tem norte, 
Sou a irmã do Sonho,e desta sorte 
Sou a crucificada ... a dolorida ... 
 Sombra de névoa tênue e esvaecida, 
E que o destino amargo, triste e forte, 
Impele brutalmente para a morte! 
Alma de luto sempre incompreendida!... 
 Sou aquela que passa e ninguém vê... 
Sou a que chamam triste sem o ser... 
Sou a que chora sem saber porquê... 
 Sou talvez a visão que Alguém sonhou, 
Alguém que veio ao mundo pra me ver, 
E que nunca na vida me encontrou! 
“Nunca fui como todos. 
Nunca tive muitos amigos. 
Nunca fui favorita. 
Nunca fui o que meus pais queriam. 
Nunca tive alguém que me amasse. 
Mas tive somente a mim. 
A minha absoluta verdade. 
Meu verdadeiro pensamento. 
O meu conforto nas horas de sofrimento, 
não vivo sozinha porque gosto e sim porque aprendi a ser só.”

Florbela Espanca

segunda-feira, 3 de setembro de 2012



Valorizando as coisas simples




Como dizia Chico à coisa aqui ta preta, mas às vezes um cigarrinho, um pouco de amor e o esquecimento são bem vindos, do contrario não se agüenta o tranco.
Por alguns momentos ver o lado bom da vida.
As coisas simples;
Olhar uma flor na manhã ensolarada.
Ouvir um pássaro cantar.
Observar uma criança sorrindo em sua inocência, seus primeiros passos.
O olhar amigo de um cão sorrindo. Adoro quando os cães sorriem.
O momento impar de olhos nos olhos de amantes apaixonados.
Dizer eu te amo pela primeira vez.
Ouvir eu te amo pela primeira vez.
Um abraço de pai e filho.
A  conquista sofrida de um batalhador.
Seu clube do coração sendo campeão!
Seu filho feliz.
Esses pequenos e sublimes momentos que fazem valer toda essa difícil existência.

domingo, 2 de setembro de 2012