domingo, 2 de setembro de 2012


"Há certas almas como as borboletas, cuja fragilidade de asas 
não resiste ao mais leve contato, que deixam ficar pedaços 
nos dedos que as tocam." 


 (Gilka Machado) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário